Aprender inglês na prática: guia para dominar o idioma

Aprender inglês ainda é considerado um grande desafio para muitas pessoas que tem as mais diversas dúvidas sobre o assunto.

Por isso, se você é uma dessas pessoas que tem muitas dúvidas sobre como aprender inglês, ou se você já tentou aprender a língua e não teve sucesso, não precisa se preocupar.

Nesse artigo você vai encontrar respostas para algumas das dúvidas mais comuns sobre o aprendizado do inglês. Confira!

É fácil aprender inglês?

Por mais que pareça algo extremamente complexo, aprender inglês é mais fácil do que você imagina.

Primeiro porque estamos cercados de termos originários da língua inglesa no nosso dia a dia, e muitas vezes nem nos damos conta disso.

Afinal, palavras como smartphone, tablet, notebook, Google, Facebook, WhatsApp, só para citar alguns, fazem parte do cotidiano de pessoas em todas as partes do mundo.

Além disso, tecnicamente o inglês se mostra mais simples do que a língua portuguesa sob vários aspectos, como por exemplo:

  • Gramática mais simples;
  • Muitas palavras semelhantes com o português;
  • Menor número de conjugações;
  • Ortografia mais simples.

Como aprender a falar inglês?

A única forma de aprender inglês, ou qualquer outro idioma, é por meio do contato frequente com a língua.

E esse é um grande obstáculo que muitas pessoas que optam por escolas de idiomas tradicionais encontram, onde muitas vezes o contato com o idioma se dá apenas do nos dias de aula.

Isso faz com que o processo seja extremamente lento e de poucos resultados efetivos.

Como aprender inglês o mais rápido possível?

Para que o processo seja muito mais rápido a melhor opção é a imersão total na língua inglesa.

Você pode até achar impossível fazer isso sem sair do Brasil, mas a verdade é que isso é cada vez mais fácil em qualquer lugar do planeta.

Porque hoje em dia, com toda a tecnologia disponível, você pode acessar todo tipo de conteúdo em inglês que quiser.

  • Filmes;
  • Músicas;
  • Livros;
  • Canais do Youtube;
  • Podcasts;
  • Jornais e revistas online;
  • Redes sociais.

Ou seja, a barreira geográfica já não existe mais, e você não tem mais desculpa para não aprender inglês de verdade.

Qual a melhor forma de estudar inglês sozinho?

Aprender inglês sozinho é totalmente possível e pode ser muito mais produtivo do que passar anos em escolas convencionais.

Veja algumas dicas práticas para aprender inglês sozinho:

  • Troque o idioma de todas as ferramentas online que você utiliza para o inglês;
  • Ouça tudo em inglês, para se acostumar a ouvir em outro idioma;
  • Adquira vocabulário de acordo com seus interesses – bloquinho e caneta mesmo;
  • Aprenda pronúncia com nativos no Youtube.

Além disso, contar com ajuda de um professor particular pode ajudar a acelerar muito o processe de aprendizagem.

Afinal, ao contrário de uma escola de idiomas, o professor particular vai atuar diretamente nas suas necessidades mais latentes, sem perder tempo com questões menos importantes.

Por exemplo, se você vai fazer uma viagem de negócios, o foco das aulas deve ser uma comunicação e vocabulários mais formais, deixando outras questões para um outro momento.

Quantas palavras você precisa saber para ser fluente?

Essa é uma dúvida muito frequente quando o assunto é a fluência na língua inglesa, e a resposta pode ser surpreendente.

Porque dependendo do seu objetivo, você não precisa ter um vocabulário extremamente rico para conseguir se comunicar.

Assim como no português, o número de palavras que são utilizadas com mais frequência é muito menor do que o existente no idioma.

Mas claro, essa necessidade depende do seu objetivo em aprender inglês.

Porque se você quer aprender a língua para fazer uma viagem terá uma necessidade completamente diferente de alguém que vai aplicar esse aprendizado no trabalho, por exemplo.

Mas, no geral, entre 3.000 e 4.000 palavras são suficientes para que você consiga se comunicar e compreender, por exemplo, conteúdo de jornais e revistas sem problemas.

Se você está tentando aprender inglês sozinho, mas sente que precisa de auxílio com pontos específicos do seu aprendizado, a abordagem aplicada na Ateneo Idiomas é a opção certa para que você alcance seus objetivos mais rapidamente.

Isso porque nossas aulas particulares utilizam diversas fontes de conhecimento do idioma inglês, para que o seu aprendizado seja muito mais produtivo.

Conheça mais sobre nosso sistema de aulas particulares e descubra como podemos ajudar você a aprender inglês de uma forma mais efetiva e interessante.

Truque para dominar o inglês: ouvir, falar, ler e escrever

É importante ressaltar, que aprender inglês na prática, assim como adquirir qualquer outra capacidade cognitiva, é algo que segue uma lógica muito parecida com a de um computador.

Nesse caso, quando inserimos algo em um computador, como uma sequência de números em uma calculadora, existe a “entrada” de dados.

Em um segundo momento escolhemos uma operação, por exemplo, a adição, e adicionamos outra sequência de números, o que leva ao processamento de dados. Por fim, o computador emite um resultado (saída).

O mecanismo de aprendizagem da linguagem funciona de maneira idêntica, ou seja, primeiro, precisamos adicionar dados, nesse caso, ou realizando formalmente um curso para aprender inglês na prática, ou convivendo com outros falantes, tendo acesso ao conteúdo cultural na língua inglesa, como músicas, filmes e séries.

Em segundo momento, é necessário falar, forçar a dicção para aprender inglês na prática, isso exige um grande processamento em nível neural acelerando o processo de aprendizado.

Após a realização desses passos, chega o momento de ter acesso à leitura, a compreensão da gramática, para isso, é fundamental ter acesso à literatura em inglês como jornais, revistas, livros, ou ainda, filmes em inglês legendados também em inglês, o que torna muito mais fácil a aquisição de vocabulário e a compreensão intuitiva das regras gramaticais, tornando o aprender inglês nalgo muito divertido e eficiente.

O último passo, talvez o mais difícil, reside em escrever. Nesse momento, é interessante tentar traduzir textos, redigir músicas de forma intuitiva enquanto escuta e também realizar exercícios pedagógicos diversos a fim de aprender inglês na prática.

2 dicas infalíveis: Pense em inglês e leia bastante

O pensamento é a esfera mais íntima de um sujeito, representa o nível endógeno daquilo que pode ser entendido como consciência.

Como tal, ela funciona em partes como uma “voz” que nos guia e estabelece um diálogo, talvez mais correto dizer um monólogo, para conosco.

Um dos passos fundamentais para aprender o inglês na prática é buscar pensar em inglês, isso mesmo, fazer com que a sua voz interior conserve com você mesmo em inglês em vez de português.

É uma tarefa, a princípio, difícil, mas com o tempo, se torna mais simples, o que leva a uma maior eficiência na hora de aprender inglês na prática.

A leitura também é uma forma de navegar profundamente para dentro do universo do inglês, levando o indivíduo não só a adquirir um imenso arsenal de palavras, mas também um repertório sofisticado de expressões e também de regras gramaticais. A leitura de livros, revistas, ou mesmo a navegação em websites estrangeiros, leva a aquisição do idioma ser mais natural, fazendo do aprender inglês na prática uma rotina.

As melhores maneiras comprovadas de aprender inglês

A aquisição do idioma passa pela necessidade de se estabelecer padrões, seja no que se refere ao conteúdo das palavras, ao seu emprego ou ao seu modo de pronúncia.

Intercâmbio

E para isso, nada é tão eficiente quanto conviver com outros falantes da língua inglesa.

Por conta disso, buscando aprender inglês na prática, milhares de brasileiros todos os anos fazem intercâmbios para países como Irlanda, Canadá e Austrália, a fim de conviver com outros falantes da língua inglesa, e de forma mais natural e assertiva aprender inglês na prática.

Aplicativos

Com a evolução tecnológica houve o surgimento de novas formas de aprendizado em modelos de ensino a distância, o que também se mostrou como uma forte via para quem quer aprender inglês na prática.

Existem muitos aplicativos para o aprendizado do inglês, muitos deles bastante divertidos, com atividades diferenciadas e com mecanismos de interatividade muito convidativos.

Outra via na qual a tecnologia pode ser empregada por quem quer aprender inglês na prática reside no uso de ferramentas de conversas de vídeo com falantes da língua inglesa.

Games

O aprendizado do inglês pode também ser uma via facilitada através de atividades prazerosas, como o vídeo game.

Os games modernos detêm tramas muito envolventes e contam geralmente com diálogos, textos em inglês.

O convívio e o raciocínio proporcionados pela experiência do jogo, facilitam de forma direta a aquisição do idioma.

Além disso, muitos jogos, sobretudo, os colaborativos de participação on-line, propicia a possibilidade de conversar em tempo real com outros usuários, sobretudo, os falantes do inglês, o que torna o aprender inglês na prática uma experiência muito divertida.

Filmes e séries

Quando o assunto é aprendizado e diversão, aprender inglês na prática pode ser algo bem facilitado através dos filmes e séries.

Nesse caso, assistir seus programas favoritos, em inglês e com legenda também no idioma estrangeiro, facilitam o processo de aquisição de linguagem,

Música

Quem não gosta de música?

É difícil!

O que pode variar é seu estilo favorito, porém, música é universal, todo mundo gosta. Por conta disso, este é um excelente método para aprender inglês na prática.

Seja no trânsito, no ônibus, no trabalho, enfim, em qualquer lugar, é possível graças à tecnologia do fone de ouvido curtir seus hits favoritos em qualquer lugar, por isso, use isso a seu favor, escute os hits em inglês, tente compreender as letras e também tente cantar, nem que seja no chuveiro.

Diálogo

Por fim, destacam-se duas coisas, primeiro, tente de alguma forma executar o diálogo, o contato com outro falante é o principal caminho (mesmo que ele não seja tão bom no idioma, o que vale é tentar).

Além disso, todas essas dicas demandam constância, ou seja, não basta você tentar apenas um dia jogar um videogame ou escutar uma música em inglês, é preciso fazer dessas  práticas uma constante na vida, ou seja, elas tem de ser incorporadas na rotina, pois dessa forma você certamente vai aprender inglês na prática sem nem se dar conta.

Como saber meu nível de inglês?

Há uma preocupação muito grande de pessoas que precisam conhecer qual é o seu nível de inglês para realizar graduação ou a pós no exterior, como também para viajar a negócios e frequentar reuniões e colóquios em que a conversação em inglês é permanente.

Dessa forma, ter fluência no inglês é uma competência primordial para que um profissional seja capacitado e completo.

A língua inglesa é uma das mais faladas do mundo e já é considerada essencial para quem deseja ingressar no mercado de trabalho. No entanto, é ainda muito pequeno o número de profissionais brasileiros que têm fluência em língua inglesa.

Para se ter conhecimento do nível de inglês, existem modalidades que se adaptam-se às necessidades de cada estudante, como o:

TOEFL

É um exame internacional TOEFL iBT  – Internet-Based O teste TOEFL é uma etapa fundamental e uma das certificações mais procuradas por aqueles que pretendem ingressar em universidades de países de língua inglesa. O exame avalia a habilidade do candidato em usar e compreender o idioma.

IELTS

Sistema Internacional de Teste da Língua Inglesa é um exame internacional bastante reconhecido. O exame é organizado pelo British Council, pelo IDP: IELTS Austrália e pelo Cambridge English Language Assessment e tem a intenção de avaliar o nível de inglês do estudante. Esse exame é o mais solicitado pelas instituições internacionais de educação para classificar a proficiência na língua inglesa.

FCE

Cambridge English: First é um exame também conhecido como First Certificate in English – FCE – o exame é uma qualificação de nível intermediário superior que comprova se o estudante consegue usa o inglês, escrito e falado, para trabalhar ou estudar.

BEC

Os exames Cambridge English: Business Certificates são desenvolvidos para proporcionar habilidades práticas que auxiliam o aluno a obter sucesso em ambientes de negócios internacionais em que se fala inglês.

CPE

Cambridge English: Proficiency é um exame também conhecido como Certificate of Proficiency in English – CPE – que é uma qualificação mais avançada. O exame vai comprovar se o estudante atingiu um nível extremamente elevado em inglês.

Aulas particulares para subir de nível!

Em um mundo globalizado e com demasiados recursos tecnológicos, aprender inglês é muito natural. Mas, para quem já tem um bom nível da língua, o ideal é fazer aulas particulares para que a dinâmica entre professor e aluno aumente o conhecimento e estimule a conversação.

As aulas particulares são muito mais intensas, uma vez que se pode aprender muito em poucas horas por semana.

Estudar, por exemplo, quatro horas por semana por um ano com um professor particular pode ser mais eficiente do que alguns anos estudando cursos feitos por semestre e com aulas semanais.

Há também alguns aplicativos com colaboram com o aprendizado e contemplam os mais variados níveis de conhecimento.

Além disso, praticar a língua em situações corriqueiras do dia a dia é um ótimo recurso, como assistir filmes em inglês sem legendas, ouvir músicas e ler livros.

Por fim, expresse em inglês tranquilamente, sem medo de errar.

Aprender inglês: o que isso significa?

O termo “aprender inglês” é muito usado, mas qual é o seu real significado?

Temos 3 possíveis explicações e mais para frente uma reflexão sobre cada uma delas:

  • Se “aprender inglês” significa conhecer sua estrutura, saber formar frases interrogativas e negativas, decorar os verbos irregulares, vocabulário e até transformar frases para a voz passiva, então você já deve ter aprendido no 2° grau e não precisa mais se preocupar – basta rever a matéria e estará pronto para se comunicar.
  • Se “aprender inglês” significa memorizar frases e expressões de forma mecânica e repetitiva, terminar o Livro X do Cursinho Y, ou ter um certificado do Cursinho Z, muitos de vocês também já estão prontos.
  • Entretanto, se “aprender inglês” significa falar com naturalidade, sentir-se à vontade na presença de estrangeiros, acompanhar filmes e as notícias da BBC ou da CNN, ter acesso a toda informação disponível na Internet, argumentar, defender seus pontos de vista, comprar e vender em inglês, construir laços de amizade/namorar em inglês, funcionar como um ser humano normalmente funciona em sociedade, conhecer os costumes e as diferenças culturais, notar quando alguém fala com sotaque, então você já não precisa frequentar mais classes de estudar horas em casa.

Na 1ª explicação vimos que “aprender inglês” significa armazenar informações e conhecimento a respeito da estrutura gramatical da língua na sua forma escrita predominantemente.

Talvez essa seja a situação ideal para quem precisa do inglês instrumental e não está muito focado na comunicação oral da língua.

Já na, o termo significa marchar no compasso de um plano didático predeterminado, memorizando vocabulário, frases e expressões de forma mecânica ou repetitiva em contextos fora da realidade do aluno.

O pensamento continua a se estruturar nas formas da língua materna e o esforço é todo dirigido a traduzir rapidamente.

O aluno terá mais dificuldade de alcançar espontaneidade na comunicação, mas, por outro lado, pode ser a forma de aprendizagem mais eficaz para determinado tipo de aluno, mais analítico, com mais habilidades racionais e menos espontâneas

E por fim, na 3ª explicação, “aprender inglês” significa desenvolver habilidades funcionais. É o que a linguística moderna denomina de assimilação natural.

É um processo equivalente ao de assimilação da língua materna pelas crianças e pode significar reaprender a estruturar o pensamento, desta vez nas formas de uma nova língua.

Se assemelha ao comportamento humano, fruto de convívio, de situações reais de interação em ambientes da cultura estrangeira. O aprendiz é protagonista e não espectador e sua realidade faz parte do contexto em que a comunicação ocorre.

O aprendizado é resultado de um processo de relacionamento que ocorre num plano pessoal-psicológico entre quem transmite e quem assimila e onde o direcionamento principal é sempre o ato comunicativo e a língua-alvo apenas seu instrumento.

Portanto, quando pensamos em “aprender inglês” precisamos entender exatamente o que queremos para saber onde buscá-lo e por isso é essencial que nas suas primeiras aulas de língua inglesa você converse com o/a seu/sua professor/a para definir em quais dessas modalidades você se encaixaria em como VOCÊ aprender inglês.

Como o nosso cérebro aprende inglês?

De acordo com o Dr. Wilson Jacob Filho, para reter o conhecimento, é necessário transformar a memória de curto prazo em memória de longo prazo, ou seja, aquela que vai ficar guardada no cérebro de forma permanente.

Como fazer isso? Como reter o que aprendemos nas aulas de inglês? Existem 2 formas, confira abaixo:

#1 Estudar por várias horas uma mesma matéria e depois fazer uma pausa longa. Por exemplo, passar a manhã inteira estudando e parar na hora do almoço.

#2 Distribuir os horários de estudo e variar as matérias. Por exemplo, estudar na parte da manhã a matéria A por 30 minutos e depois, na parte da tarde, estudar a matéria B por mais 30 minutos.

Qual das duas formas é mais eficaz?

Depende do perfil da pessoa, porém, geralmente, a 2ª forma é mais efetiva. Por quê?

Devido a distribuição e a variação.

Não adianta estudar por horas um mesmo conteúdo. Com o tempo o cérebro se cansa e não retém o conhecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *