Arquivos da categoria: Idiomas

Filmes Argentinos na Netflix: as melhores recomendações

Neste post você conhecerá 3 filmes argentinos imperdíveis para assistir na Netflix. Comece agora a treinar seu espanhol:

Un novio para mi mujer

Sobre o filme

Diego El Tenso Polski (Adrián Suar) não sabe como enfrentar sua esposa, Andrea la Tana Ferro (Valeria Bertucelli), para lhe dizer que quer se separar, já que a relação é insustentável devido a seu caráter terrível. Ela vive constantemente de mau humor: se ela não protestar ao longo do tempo, é para o governo; se não é para os vizinhos, é para os jovens, para os velhos … ou o que for.

Carlos, amigo de Tenso, sugere reverter o problema … e fazer Tana abandoná-lo. Como? El Tenso pergunta, e Carlos lhe apresenta uma proposta: dirigir-se ao Cuervo Flores (Gabriel Goity), um irresistível velho sedutor que seduzirá sua esposa até que ele se apaixone para que El Tenso finalmente encontre a solução para seus problemas.

La historia oficial

Sobre o filme

Alícia é uma professora de História pertencente à classe média argentina. Ela convive com pessoas tanto de esquerda quanto de direita, mas desconhece as tragédias pessoais geradas em seu país pela ditadura militar (1976-1983). Ela é uma mãe atenciosa para a filha Gaby, uma criança adotada e trazida para casa por seu marido Roberto.

Após o retorno do exílio da amiga Ana, uma ex-presa política, Alícia começa a descobrir os horrores praticados contra os opositores do regime. Ela começa então a crer na possibilidade de que seu marido teria mantido relações escusas com a máquina repressora do regime e adotado Gaby depois que seus pais, possíveis presos políticos, foram assassinados. A investigação de Alícia para descobrir a origem de sua filha a leva a hospitais insalubres, à igreja frequentada pela família (onde se depara com o silêncio do padre, numa cena que causou problemas com a Igreja Católica por retratar a omissão desta para com o regime) e, finalmente, a uma manifestação das Mães da Praça de Maio, onde encontra aquela que seria a avó biológica de sua filha.

Pequena série: La historia de un clan

Sobre o filme

Historia de un clan foi uma minissérie de televisão argentina, transmitida pela rede televisiva Telefe para a Argentina e pela TNT no restante da América Latina.[1]

Baseada na história verídica de Arquímedes Puccio e os crimes cometidos por e ele e sua família, a produção é protagonizada por Alejandro Awada e Chino Darín. Foi ao ar pela primeira vez em 09 de setembro de 2015 e em 10 de setembro de 2015 para os outros países.

Graduação e idioma: descubra o idioma de que você precisa aprender para seguir seu sonho

Entre os anos de 2013 a 2017, o número de declarações que foram entregues à Receita Federal para saída definitiva do Brasil girava em torno de dez mil. No último ano, esse número cresceu e chegou a quase vinte  e dois mil pedidos.

Os países que mais recebem pedidos são Canadá, Austrália e Nova Zelândia.

No entanto, o Canadá costumar dar preferência aos mais  jovens com experiência profissional, boa formação acadêmica, e, é claro, com fluência no  idioma. Já países como Austrália e Nova Zelândia não impõem idade, sexo nem formação.

Agora, se você quer estudar e trabalhar no exterior, vamos dar algumas opções de curso, que certamente uma delas vai te atrair.

Quais são as graduações para quem quer trabalhar com idiomas no exterior?

Os cursos de Comércio Exterior, Relações Internacionais e Administração transitam pelas áreas humanas e exatas, visto que o profissional lida com transações de compra e venda entre empresas de países diferentes e atividades de importação e exportação de produtos e ainda faz as negociações entre países.

O profissional de Relações Internacionais estuda e analisa o relacionamento entre países diferentes, como também, procura estabelecer acordos políticos, econômicos, culturais, comerciais, entre outros. Pode ocorrer a esse profissionais  serem contratados por uma empresa brasileira e/ou estrangeira.

O profissional pode trabalhar em empresas multinacionais ou ter uma carreira pública, atuando em órgãos do governo, embaixadas ou consulados.

Já o profissional de Administração de Empresas pode, por exemplo, gerenciar empresas, assumir cargos estratégicos dentro das organizações e trabalhar também em empresas multinacionais

Letras, Jornalismo Gestão de Recursos Humanos são voltados para área humana.

Com o curso de Letras, o profissional pode ser tradutor/intérprete e professor.

Como tradutor, o profissional trabalha com livros, documentos, artigos, manuais, comunicados, em diferentes idiomas.

O intérprete atua  em palestras, conferências, acompanha encontros nos quais as pessoas falam idiomas diferentes. Já o professor pode ser convidado, ou fazer concursos para dar aula em universidades ou escolas fora do país, regendo aulas do seu idioma nativo ou do idioma do país o qual ele leciona.

O profissional de  Gestão de Recursos Humanos admite, entrevista e treina os colaboradores de uma empresa, sejam elas nacionais ou multinacionais.

Quem escolhe como profissão o jornalismo tem a opção de trabalhar como correspondente internacional, como também morar fora e atuar como freelancer.

Profissões X Idioma

Se você quer expandir seus horizontes, conhecer o mundo de maneira bem concreta, ou seja, trabalhando, morando no lugar para sentir e viver a cultura, a culinária, conhecer e falar com pessoas na rua, se sentir verdadeiramente como se estivesse em casa, é maravilhoso! E digo mais, essa experiência também proporciona um enorme crescimento humano.

Se o seu interesse  é estudar idiomas e aproveitar a sua formação acadêmica para atuar no exterior, saiba que a oportunidade existe e está ao seu alcance.

Apesar de lidarmos o tempo todo num cenário bastante competitivo,  dominar um ou mais idiomas já não é mais pré-requisito, faz parte da formação.

Não perca mais tempo. Venha para Ateneo Idiomas!

Aqui nós garantimos: seu sonho já é realidade!

São muitos os profissionais que querem unir as capacidades de se especializarem em uma área especifica, ao mesmo tempo em que domina e idioma e assim poder ir para o exterior desempenhar sua profissão, por isso é preciso se preparar: falar uma língua estrangeira e de forma segura é uma necessidade vital para o sucesso aqui e lá fora.

Graduações para quem gosta de estudar inglês e outros idiomas

A diferença de remuneração entre profissionais que sabem falar inglês chega a 53% entre supervisores e coordenadores, 40% entre analistas e 33% entre especialistas graduados que dominam a língua inglesa.

Outro idioma também considerado diferencial é o espanhol, que pode aumentar a remuneração em até 40% entre os cargos de gerência e gerar diferenças salariais que alcançam até R$ 5 mil.

As variações também são vistas entre supervisores e coordenadores (41%), analistas (40%) e profissionais graduados (16%).

Existem graduações consideradas ideais para quem se identifica com inglês e espanhol e gosta de aplicar os idiomas no dia a dia.

Confira abaixo:

Graduações para quem gosta de estudar inglês e espanhol

Tradutor

A profissão conhecida como tradutor não é regulamentada. No entanto, o exercício profissional requer não apenas o conhecimento da outra língua, mas a realização de cursos capazes de habilitar para o exercício profissional.

Entre as formações existentes está a graduação em Letras com habilitação em Tradução.

O profissional que realiza tradução pode atuar na docência da educação superior (desde que obtenha formações complementares) ou dedicar-se a áreas específicas:

tradução legal, técnica, médica, entre outros.

O ambiente de trabalho envolve empresas, órgãos governamentais, ONGs, escritórios home office e diversos outros.

Intérprete

O intérprete é o profissional que lida diretamente com discursos orais e os traduzem simultaneamente para outra língua estrangeira.

Além do conhecimento de ambos os idiomas (falado e a ser traduzido), é preciso ter agilidade para escolher e transmitir as palavras na exata medida da intenção de quem discursa.

Para atuar no mercado de trabalho de interpretação, é possível cursar a graduação em Letras com habilitação em Interpretação.

Durante o curso, o profissional conhecerá mais sobre o mercado de trabalho, as áreas de atuação, o salário do intérprete e outras informações importantes para o exercício da profissão.

Relações Internacionais

Para atuar com Relações Internacionais, o profissional deve gostar de atuar em áreas diferentes e não necessariamente complementares: economia, história, geografia, língua estrangeira, política, entre outras.

O profissional deve ter múltiplas habilidades para saber estreitar relações entre nações, povos e empresas.

A graduação é ofertada na forma de bacharelado.

Em relação ao mercado de trabalho de Relações Internacionais, as áreas de atuação estão a investigação de mercados, análise de risco de conflitos e a situação política dos países, avaliará as possibilidades de negócios e parcerias de uma multinacional, além de se tornar uma ponte entre as cooperações internacionais com projetos do exterior

Comércio Exterior

Para atuar com comércio exterior existem formações específicas na área e também em negociações internacionais.

No entanto, há outras formações que habilitam para o exercício profissional a depender da área de atuação (marketing, gestão de turismo, transporte, serviços e comércio, entre outros).

Um outro caminho possível, mas para quem já tem o ensino superior, é a pós-graduação focada na internacionalização do comércio.

O profissional deve buscar também cursos de idiomas seja para aprender ou para aumentar a fluência uma vez que a comunicação é o centro da negociação.

Além da formação técnica, o “comerciante” deve ter habilidade para lidar com pessoas.

Turismo e Hotelaria

Lidar com as áreas de turismo e hotelaria é estar em contato com pessoas de diversas partes do mundo, ter grande conhecimento e bagagem cultural, tanto do local onde atua (a fim de enriquecer a experiência do turista), como também a cultura dos visitantes.

Consequente, aplicar diversas línguas estrangeiras durante o exercício profissional será constante.

O curso de Turismo é uma formação de nível superior, na qual o estudante é preparado para atuar em um setor ligado diretamente à economia do local.

Os interessados em buscar conhecimento na área encontram a graduação com as titulações de bacharelado e tecnológica. Confira a média salarial do turismólogo.

O curso de Hotelaria é uma graduação de nível superior com titulação tecnológica e duração média entre dois e três anos.

Ao longo desse período, o curso habilita o profissional responsável pelo funcionamento e direção de hotéis, pousadas, SPAs e diferentes tipos de alojamento e estadia. Confira a média salarial do profissional de hotelaria

Jornalismo

No curso de jornalismo, o profissional aprende as técnicas de comunicação específicas para a área com foco nas diferentes mídias de atuação: impresso, rádio, televisão e internet.

No entanto, lidar cotidianamente com a língua estrangeira é prática comum ao atuar como correspondente internacional e realizar a cobertura de conflitos, comentar sobre panorama mundial econômico, político, entre outros.

A graduação em jornalismo dura, em média, quatro anos e, durante a formação, são estudadas disciplinas como sociologia, ética e filosofia, também úteis para o corresponde

Curso de turismo: preciso saber inglês?

O curso de turismo é ideal para quem tem um perfil dinâmico, flexível, comunica-se bem e adora trabalhar com o público.

O curso de turismo dá oportunidade ao futuro profissional de lidar com todos os assuntos relacionados a atividades como viagens, hospedagens, eventos, cultura, gastronomia, pode atuar em gerenciamento de serviços de hotéis, organizar viagens, há também possibilidade de atuar, identificando novos polos de exploração turística, analisar o potencial de cidades no que tange ao lazer, como analisar e propor soluções para ocorrer o desenvolvimento do local.

Enfim, é um curso que oferece inúmeras possibilidades no mercado de trabalho.

Conversação em inglês guia práticoQuanto tempo dura o curso de turismo?

O curso de turismo é oferecido em muitas universidades brasileiras, e há a opção de escolher entre bacharelado e tecnológico, além de poder ser cursado nas modalidades presencial e a distância.

A duração do curso é de 2 a 6 anos. O tempo vai depender da modalidade escolhida: tecnólogo, 2 a 3 anos; bacharel 4 a 6 anos.

O que faz um profissional de turismo?

O profissional planeja, organiza, promove e divulga viagens, eventos e atividades de lazer e de negócios. Pode atuar em prefeituras e órgãos públicos, coordenar a exploração turística de determinada região, a fim de promover e divulgar as atrações locais.

Além disso, o turismólogo tem como atribuições a elaboração de roteiros, acompanhar turistas, organizar feiras, congressos e exposições, atuar nas vendas de passagens e reservas em hotéis, gerenciar hotéis, empresas de eventos e empreendimentos de lazer.

Preciso saber inglês para fazer o curso?

No mercado de trabalho, é fundamental falar uma segunda ou mesmo uma terceira língua.

No caso do curso de turismo, a língua inglesa é um diferencial no currículo.

O idioma tornou-se um atributo indispensável para a prática da profissão.

É sabido que a indústria do turismo é um dos setores mais promissores, pois ele fomenta a geração de empregos no Brasil.

Isso porque o número de turistas estrangeiros que desembarca a cada dia no País está muito maior, em relação à média mundial.

Quando surgem eventos como Copa do Mundo, Jogos Olímpicos, Rock Rio, entre outros, cresce a expectativa da indústria de entretenimento, como de todo brasileiro, sempre muito cordial e receptivo, torna-se um excelente anfitrião.

Nada mais justo, pois o Brasil é um destino muito procurado. É um país cujas belezas naturais suscitam um grande fluxo de visitantes.

Partindo desse pressuposto e de que o turismo é global e bastante competitivo, é fundamental a formação de profissionais capazes de oferecer produtos e serviços compatíveis com a rotatividade de visitantes.

Da mesma forma também é importante que os profissionais do turismo sejam capazes não somente de comunicar, mas também de recepcionar e de interagir com pessoas de países do mundo inteiro.

Daí a importância de dominar o idioma.

Portanto, quando o profissional sabe inglês e tem fluência da língua, ele está a investir, tanto na vida profissional quanto pessoal.

O inglês é o idioma que abrange o universo do turismo e das viagens, ao mesmo tempo em que é o idioma dos negócios, dos eventos e da comunicação empresarial.

Por tudo isso, sim, saber inglês é fundamental para o desempenho da profissão.

Conversação em francês: domine o idioma

2018 foi um ano em que muita gente passou a investir na conversação em francês inspirados no trunfo da França que se tornou bicampeã mundial de futebol.

O francês não é só o idioma “universal” dos maiores chefes de cozinha o mundo, isso porque, 30 países têm como língua oficial este idioma (La Francophonie – comunidade de países francófonos).

Destaca-se também que os que investem em conversação em francês não estão sozinhos, pois, este idioma é considerando uma língua oficial em todas as agências das Nações Unidas e também em um número elevado de organizações internacionais.

Ao todo, no mundo, pelo menos 500 milhões de pessoas falam francês, o que representa mais de 1/14 de toda população global, ou seja, não falta “parceiros” para treinar conversação em francês.

O inglês não é só a língua do universo político e das relações universais, mas também, junto com o inglês, uma língua importante quando o assunto é mercado, sendo um idioma amplamente utilizado na maior parte das grandes empresas multinacionais.

Aulas em dupla ou grupo para praticar

AULAS EM DUPLA (1)

A conversação em francês é um método fundamental para sedimentar o aprendizado desta língua e ela pode ser realizada tanto em dupla, como em grupos.

Como vantagem, a conversação em duplas permite que de uma forma mais direta, seja treinada as etapas de um dialogo do tipo face a face, que exige um tipo de interação mais direta, ou seja, mais profunda, com um maior repertório de palavras e expressões diferenciadas.

Em grupo, todavia é possível treinar e simular situações em que a conversação em francês é o eixo unificador, por exemplo ao encenar uma peça de teatro, cantar uma música, como em um coral, ou ainda, simular uma situação como uma reunião de negócios ou mesmo um show de stand up.

Considerando que os seres humanos são seres sociais e que a linguagem é o “cimento” das relações, a conversação em francês, seja ela executada em dupla, ou ainda melhor, dento de um grupo, certamente proporciona muitos elementos de aprendizado para quem quer aperfeiçoar o francês.

É evidente que por conta da tecnologia, as pessoas não precisam estar reunidas todas em um mesmo lugar, ao contrário, podem estar conectadas por videochamada, que é uma forma muito utilizada e funcional de se treinar conversação em francês.

5 dicas para praticar conversação todos os dias

Pronúncia do R em inglês como resolver

A conversação em francês é fundamental para o aprendizado, todavia, às vezes, falta oportunidade de treinar, principalmente para quem não frequenta um curso formal de francês e tem acesso a um professor particular do idioma.

De toda forma, dentre as dicas que podemos elencar para quem quer conversação em francês todos os dias a melhor certamente é o intercâmbio.

Seja passar 30 dias ou 1 ano em um país que fale francês, certamente você terá muitas oportunidades para exercitar a conversação em francês, o que sem sombra de dúvidas fornecerá uma sólida base para o aprendizado do idioma.

Para quem está pensando em viajar para um país de língua francesa, a fim de treinar o idioma, as opções são amplas: fora a França (obviamente), existem outras opções muito interessantes, como Canadá, Polinésia, Benin, dentre outros.

Uma outra forma de treinar conversação em francês, mas a um custo mais baixo, é através do uso das novas tecnologias.

Através de tecnologias como um celular e o acesso as redes sociais, é possível conhecer pessoas que falam o idioma francês, e que estão espalhadas pelo mundo e dispostas a conversar. Uma terceira dica é escrever partes do dia, como em um diário, e buscar recitar a si mesmo, em voz alta, mas em um ritmo de conversa.

Outro ponto interessante, para treinar conversação em francês em dupla, é simular diálogos do cinema (algo que além de didático, é bastante divertido).

Para quem tem grupo de amigos que estão empenhados em aprender francês, é interessante realizar atividades em grupo que tenham a conversação em francês como regra, como organizar uma peça de teatro (no idioma Francês), ou ainda, fazer uma roda de literatura com leituras de clássicos franceses.

5 segredos para dominar o idioma sozinho

Destaca-se que quando o assunto é conversação em francês, você definitivamente não está sozinho, isso porque, mais de 200 milhões de pessoas aprendem o francês como uma segunda língua, o que faz dessa a segunda língua mais ensinada em todo planeta (ficando atrás apenas do inglês).

Para quem quer começar a dominar o francês sozinho e ter uma boa conversação em francês, um primeiro passo é assistir séries, filmes e programas televisivos em Francês.

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

O filme “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain”, além de ser um clássico do cinema, é uma ótima pedida para quem quer melhorar o francês e adquirir bom vocabulário.

Para quem gosta de dramas policiais, a Netflix fez um seriado chamado La trêve, que além de ter uma trama muito envolvente, ajuda a aprender conversação em francês.

Uma segunda dica são os canais do Youtube, muitos deles, são voltados a pessoas que querem treinar conversação em francês.

Além disso, como terceiro ponto, recomenda-se a leitura de clássicos franceses, que são muitos, como exemplo, podemos destacar Jean-Jacques Rousseau, Voltaire, Júlio Verne, Jean-Paul Sartre, Simone de Bevouir, Pierre Bourdieu, Stendhal, Paul Valéry, Honoré de Balzac, dentre muitos outros.

Uma quarta dica (importante) para quem quer treinar conversação em francês é escutar músicas cantadas no idioma francês. Para quem gosta de rock alternativo, por exemplo, o cantor Sébastien Tellier e também os “Mansfield TYA” tem canções que podem agradar e ajudar a treinar conversação em francês.

Já para quem gosta de música romântica, destaca-se para quem quer treinar conversação em francês, cantores como Louane Emera, Indila, Asmir Haddad,

Carla Bruni, Patrick Bruel, Joe Dassin, Kendji Girac e Maitre Gims.

Por fim, destaca-se que, quem quer treinar conversação em francês deve fazer uso de aplicativos que existem disponíveis (a maior parte deles gratuitos) na internet, e também, existem muitos podcast’s que são extremamente bacanas e que fornecem uma boa base de conversação em francês.

Curso de inglês: leitura e escrita [Guia Definitivo]

O inglês deixou de ser um imenso diferencial no currículo, enquanto segunda língua, para se tornar praticamente um requisito obrigatório para a maior parte dos segmentos.

A importância do inglês reside no fato de que este é o idioma universal, ou seja, a língua com que a maioria das pessoas do mundo troca informações, mensagens, ideias.

O inglês é a ponte simbólica que une diferentes povos, culturas, tornando tudo parte de um mesmo eixo.

Se o mundo, outrora, já foi como uma “Torre de Babel”, com muitas pessoas com idiomas diferentes e que não se compreendem, hoje, o inglês tem derrubado as barreiras que separam as pessoas, povos e culturas.

E uma ferramenta importante neste processo tem sido a leitura e a escrita.

Muitos dados tem demonstrado que a aquisição de um outro idioma como o inglês tende a ser como uma escada para a elevação da posição profissional e também para o acesso a remunerações mais elevadas, por conta disso, no Brasil, houve um grande crescimento quanto a oferta de escolas de inglês, obviamente, impulsionados pela massiva e crescente demanda de alunos querendo curso de inglês leitura e escrita.

Em todo caso, um curso de inglês leitura e escrita acaba sendo uma vantagem competitiva, um acesso a portas, sejam elas do mundo social ou do ambiente corporativo.

Mas, antes de ir atrás de qualquer curso de inglês leitura e escrita, é preciso saber que a linguagem é algo complexo, enquanto fenômeno é algo universal, ou seja, não é uma singularidade deste ou daquele povo, mas é algo que está permeado de forma ampla em todas as civilizações.

Por conta disso, existem mais de 6 mil línguas e o inglês é a que tem mais destaque no mundo todo, seja a esfera do mundo da ciência, da educação, dos negócios, da política, da indústria do entretenimento, enfim, o inglês é o código que permite acesso ao mundo da globalização.

Como escolher um curso de inglês?

A importância de aprender inglês nos dias de hoje é indiscutível. O mercado de trabalho já não trata mais o idioma como um diferencial, mas como obrigatório para alcançar uma posição razoável profissionalmente. O diferencial fica por conta de um terceiro idioma.

Dessa forma, se você ainda não fala inglês, o primeiro passo é iniciar um curso.

QUAL É O SEU PERFIL COMO ESTUDANTE?

Nem sempre a metodologia que funciona bem com o seu amigo, vai funcionar com você também. Isso porque cada aluno tem o seu perfil e é aí que a aula particular se diferencia da aula em grupo. Nessa modalidade é possível focar nas dificuldades e dúvidas individuais do aluno. Alguns têm um perfil mais autônomo e disciplinado, capazes de seguir uma rotina regrada de estudos.

Outros, são mais dependentes e o professor precisa ditar as diretrizes para que o plano de estudos funcione bem. O nosso diferencial está no fato de que o professor saberá captar qual o perfil do aluno e focar nos métodos que ele melhor se adaptar.

QUAL É O SEU OBJETIVO COM O CURSO?

Você também precisa ter em mente o porquê de querer estudar inglês.

É para conseguir uma melhor colocação no mercado de trabalho? Para candidatar-se a um melhor cargo na empresa que você trabalha? Você fará uma viagem ou curso no exterior? Isso também influenciará na forma como o professor abordará com você o plano de estudos.

Normalmente, o objetivo também determina o prazo que você tem para aprender. Se você tiver pouco tempo para avançar os níveis no idioma, será necessário um programa mais específico no estilo intensivo para chegar aos resultados desejados.

Curso de conversação em inglês

 

Quando alguém decide que vai aprender inglês de uma vez por todas, a conversação é um dos aspectos chave para que o sonho torne-se realidade.

Muitas vezes, mesmo lendo e escrevendo muito bem em inglês, muitos alunos “travam” no momento do “speaking” (a conversação).

Se esse é o seu caso, veja abaixo quais podem ser os motivos do medo de falar outro idioma:

SOTAQUE

Se na hora de falar inglês você sente vergonha do seu sotaque, isso pode atrapalhar muito o aprendizado.

MEDO DE ERRAR

O medo de errar também é um dos pecados capitais de quem tem problemas com a conversação.

FALTA DE PRÁTICA

Mesmo querendo muito alcançar a fluência em inglês, muitos alunos simplesmente não aproveitam as oportunidades que têm para praticar… Assim o aprendizado fica bem mais lento.

POUCA EXPOSIÇÃO

Para perder o medo da conversação, é preciso expor-se a ela. Para isso, os estudantes precisariam assistir mais filmes sem legendas, acompanhar atentamente suas músicas preferidas em inglês etc.

Essa é uma maneira simples de tornar o idioma mais “natural” para o seu cérebro e, consequentemente, facilitar as coisas na hora que precisar colocá-lo na ponta da língua.

Se você se identificou com as questões acima, não se preocupe, a Ateneo Idiomas resolve o seu problema!

Como já dissemos, o nosso curso de conversação em inglês pode ser ministrado para um só aluno ou para pequenos grupos. Isso ocorre justamente para que cada estudante esteja o mais à vontade possível durante as aulas.

Você sabe o que é aquisição de vocabulário e aquisição contextualizada?

estudar ingles ferias

O curso de inglês leitura e escrita é um método fundamental para quem busca adquirir vocabulário. Como a linguagem é um fenômeno complexo, podemos pensar no idioma, não só no inglês, mas qualquer outro, como uma espécie de “bolo” formado por camadas.

Em uma camada, mais superficial, reside o significado mais óbvio, mais aparente, as palavras e as expressões. Em um segundo ponto, como o recheio, reside o contexto e as alternativas de interpretação para a camada superior.

Dito de outra forma, uma palavra, por exemplo, pode ter um significado em um contexto, porém em outro, em uma expressão, em um dito popular, em um gíria, pode ter outro completamente diferente.

Claro que, para adquirir uma maior compreensão quando a aquisição, ou seja, ter a aquisição de linguagem contextualizada, é importante que, antes disso, o indivíduo detenha vocabulário.

Podemos entender que, a aquisição de vocabulário, é como obter peças de um quebra cabeça, agora, montar o quebra cabeça, em tese, é conhecer e ou estabelecer uma via eficiente de aquisição contextualizada do idioma, e tanto um quanto outro passam obviamente pelo curso de inglês leitura e escrita.

Evidente que, tanto para ter aquisição de vocabulário, ou seja, adquirir um repertório satisfatório de palavras e expressões em inglês, assim como, ter a aquisição contextualizada do idioma, demandam de esforço individual, esse é o único ingrediente que não pode ser negligenciado por todo aquele que se dispõe a estudar um curso de inglês leitura e escrita.

Nesse caso, o hábito da leitura deve ser incorporado não como um evento pontual e inusitado, mas sim, como uma constante.

Ou seja, ao invés de, apenas um dia na semana (ou no mês) ler durante 5 ou 6 horas em inglês, é preferível que o indivíduo leia menos horas, porém, com uma frequência maior, se possível, todos os dias.

O melhor método para treinar a leitura e escrita

Guia prático para você aprender um novo idioma

O curso de inglês leitura e escrita é uma escolha pessoal importante por muitos motivos.

Para delinear alguns, podemos dizer que, a escrita do inglês é um exercício cognitivo importante para saúde mental e que, além disso, abre muitas portas no mundo corporativo e também no ambiente acadêmico.

Parece redundante, mas vale lembrar que a proposta de um curso de inglês leitura e escrita é que o aluno deve se dedicar a ambos, ou seja, agir em duas frentes.

Evidente que, é possível adotar estratégias para que esta tarefa além de mais eficiente, seja mais prazerosa.

Por exemplo, na hora de escolher material em inglês para ler, como livros, revistas, jornais, escolha temas e autores ao qual você tenha aficionado e apreço.

Uma leitura sobre um tema agradável e não maçante torna a experiência muito mais agradável fazendo do aprendizado do idioma e, sobretudo da aquisição de vocabulário um exercício natural e contínuo.

Em um segundo momento é preciso exercitar, literalmente, colocar no papel as ideias.

Uma dica interessante é fazer uma espécie de “diário” em inglês, onde o aluno esforça-se para, todos os dias, escrever em inglês sobre as dificuldades que vem enfrentando no aprendizado do idioma, assim como, curiosidades sobre os vocabulários novos que foram adquiridos.

Outro método interessante e funcional para treinar a escrita está em fazer traduções do português (ou de outro idioma ao qual tenha domínio), para o inglês.

A busca por sinônimos, por exemplo, é um desafio em muitos casos, pois não existem expressões em muitos casos que são equivalentes, fazendo com que o aluno tenha de se esforçar para construir frases equivalentes.

Além disso, na era da internet, é importante lembrar que para a maior parte das pessoas o mundo é acessado pelas portas da internet.

Por conta disso, é interessante que o aluno de um curso de inglês leitura e escrita, busque acessar no dia a dia, conteúdos e páginas em inglês, isso facilita a aquisição de vocabulário e também a aquisição contextualizada do idioma, afinal, a internet e as redes sociais são como um laboratório onde está exposto em inglês (e em outros idiomas) diálogos, textos e expressões em contextos diversos.

Dicas para treinar pronúncia em inglês e aumentar vocabulário

Você tem dificuldade em pronunciar certas palavras em inglês?

Confira abaixo algumas dicas para você superar essa dificuldade:

  • Uma boa maneira de identificar os seus erros é gravar você falando. Depois escute, faça anotações  e compare com a fala de um nativo de língua inglesa ou até com a pronúncia de uma ferramenta, como o Google Tradutor.
  • Ao assistir filmes, preste atenção no movimento da boca dos falantes nativos ao pronunciar as palavras.
  • Use os seguintes dicionários online para escutar a pronúncia correta das palavras: Macmillan, Merrian Webster, Longman Dictionary, Vocabulary.com, Wordreference e Cambridge Dictionary.
  • Cante junto com as músicas. Observe como cada palavra é falada e reproduza a pronúncia.
  • Leia em voz alta poemas, discursos, romances e artigos informativos para praticar a contração e entonação das palavras.
  • Essa última dá um pouco mais de trabalho mas vale a pena: busque na internet um áudio em inglês com um falante nativo.

Mas atenção! Esse áudio deve ter a transcrição também.

Depois você deve escutá-lo acompanhando a transcrição quantas vezes forem necessárias e, por último, grave a sua voz lendo a transcrição tentando repetir a mesma pronuncia, velocidade e entonação.

SAIBA COMO TREINAR SUA PRONUNCIA EM INGLÊS COM O APLICATIVO SPEAKINGPAL

SpeakingPal é um aplicativo que funciona como um professor de inglês especializado em conversação. Quando você pronuncia uma palavra ou frase, ele te dá um um feedback. É uma ferramenta boa para aquelas horas que ficamos em dúvida em relação a pronúncia de uma palavra.

Além disso, o app te ajuda a trinar seus ouvidos, uma vez que é possível comparar sua pronúncia com a pronúncia de um falante nativo.

O SpeakingPal propõe uma forma dinâmica para você aprimorar sua fala em inglês,  com conversas curtas sobre tópicos engraçados.

4 APLICATIVOS PARA VOCÊ TREINAR O INGLÊS

Muitos alunos, ao fazerem parte de um curso de idiomas, enfrentam dificuldade de pronunciar as palavras corretamente. Para facilitar esse processo de aprendizagem, recomenda-se escutar músicas, assistir filmes com legendas e ler livros. Além dessas práticas, existe outra bastante eficaz: aplicativos.

Os aplicativos ajudam o estudante a enriquecer o vocabulário, aprender a gramática, construir frases e pronunciar palavras.

Conheça 4 aplicativos para você instalar e começar a usar! Mas antes, lembre-se de escolher aquele que mais combina com o seu perfil de aprendizagem.

DUOLINGO

Duolingo é uma plataforma criada a partir de dados científicos para oferecer ensino gratuito de línguas.

BUSUU

busuu.com é uma inovadora comunidade online para o aprendizado de idiomas.

BABBEL

Babbel ensina vocábulos, gramática e elementos idiomáticos para todos os níveis e para qualquer tipo de conversação. Uma ampla variedade de cursos de idiomas com os seus temas preferidos: hobbies, trabalho e tudo que você faz no seu tempo livre.

SPEAK ENGLISH

Gostaria de melhorar o seu inglês? “Speak English” permite-lhe treinar a sua pronúncia e as suas habilidades de conversação.

4 DICAS PARA AUMENTAR O SEU VOCABULÁRIO EM INGLÊS

Confira 4 dicas para você enriquecer o seu vocabulário em inglês:

DICA #1

De acordo com o contexto que a palavra está inserida, tente adivinhar o seu significado.

Entender o contexto em que a palavra foi usada, já é meio caminho para compreender o seu significado.

DICA #2

Quando não souber o significado de uma palavra, procure no dicionário e escreva em um caderno a sua definição.

DICA #3

Retirar o radical, núcleo da palavra, e entender o seu significado. Através do radical, parte do significado de uma palavra pode ser compreendido, mesmo ela sendo desconhecida. Vale ressaltar que, é importante prestar atenção no contexto em que ela foi inserida.

DICA #4

Grave os afixos (prefixos e sufixos). Afixo é a parte que inserimos antes ou depois do radical. Os prefixos vêm antes do radical e os sufixos, depois.

Dicas para escrever melhor em inglês

No contexto atual é muito importante ter o desenvolvimento do idioma inglês. Aprender esse idioma proporciona uma ascensão educacional e principalmente profissional, em que há chance de promoção e fechamento de negócios.

Para ter um inglês bem desenvolvido, há quatro habilidades necessárias: compreensão oral (listening comprehension), leitura (reading), fala (speaks) e escrita (writing).

A escrita em inglês tornou-se essencial em situações, como por exemplo, imprensa escrita, meios acadêmicos e comércio internacional. Porém, muitos brasileiros ainda possuem dificuldades para ampliar a habilidade escrita, que exige riqueza de vocabulário, clareza, simplicidade e integridade lógica.

Dicas para escrever melhor em inglês 2

Sendo assim, reunimos 6 dicas para escrever melhor em inglês, acompanhe a seguir:

#1 LEIA NOTÍCIAS ONLINE (READ NEWS ONLINE)

Sites como The Telegraph e New York Times são excelentes escolhas para você aprender a estrutura de um texto que contém início, meio e fim.

#2 SEJA OBJETIVO (BE OBJECTIVE)

Ao escrever em inglês, apresente fatos ao invés de opiniões. Não imponha o seu ponto de vista a quem for ler. Seja específico e claro.

#3 RELEIA O QUE ESCREVEU (REREAD WHAT YOU WROTE)

Sempre releia os seus textos e corrija os erros. Dessa forma, você terá uma evolução na escrita.

#4 FAÇA ANOTAÇÕES EM INGLÊS (WRITE NOTES IN ENGLISH)

Crie o hábito de anotar lembretes, compromissos e a lista de compras de sua casa em inglês. Isso estimula o seu cérebro a pensar em inglês.

#5 ENCONTRE INSPIRAÇÃO NA ARTE (FIND INSPIRATION IN ART)

Após ler um livro, assistir um filme, ir a uma exposição de arte, assistir um show musical ou uma apresentação de teatro você pode escrever uma crítica ou resenha em inglês sobre o assunto abordado. Comece a fazer isso e, aos poucos, notará que este exercício ajuda muito a escrever melhor em inglês.

#6 TENHA UM DIÁRIO (HAVE A DIARY)

Você pode praticar a escrita em inglês de uma forma mais descontraída, descrevendo situações do cotidiano, características de pessoas ou objetos, em um diário.

6 DICAS PARA VOCÊ COMEÇAR A FALAR INGLÊS AGORA

Independentemente do método utilizado pelo professor, há alguns fatores que adiantam o aprendizado do estudante no momento de falar a língua inglesa.

Sendo assim, acreditamos que seja muito importante repassar de maneira bem simples, algumas teorias que podem ajudar você na hora de aprender a falar inglês, mostrando que é muito mais fácil do que muitas pessoas, imaginam.

Aprenda a falar inglês

Para tanto, convidamos você a conferir 6 dicas para aprender a falar inglês, a seguir.

Dica 1: Cante karaokê em inglês

Depois de memorizar a letra e colocar o estudo do vocabulário em prática, utilize as frases da música no momento de conversação. A vantagem de fazer uso desse método é que você falará de uma forma rápida a frase memorizada, e assim, evitará erros de gramática, pois aprenderá as preposições e os verbos existentes na canção.

Dica 2: Aprenda a organizar as informações

Você pode aprender a falar o idioma com qualquer detalhe da rotina. Para isso, é necessário saber captar, armazenar e concretizar conteúdo. Você pode ampliar o seu vocabulário ao prestar atenção em palavras lidas no noticiário todos os dias. Ao ler artigos de negócios, encontra-se expressões como cambiais, stakeholders, split, commodity, swaps e joint venture. Você sabe, por exemplo, o que essas palavras significam?

Ao se deparar com alguma palavra em inglês que você não conheça, anote a palavra no mesmo contexto em que ela se encontra, dessa forma, você irá criar o seu próprio glossário e reler ele periodicamente. Desta forma, você otimiza o processo de aprender a falar inglês.

Dica 3: Converse em inglês

Muitos de nós temos um amigo ou parente próximo que tem no mínimo o nível intermediário do idioma. Combine com algum deles uma conversa em inglês de 10 a 15 minutos por semana. O objetivo desse método é desenvolver a prontidão da língua inglesa.

Dica 4: Reveja um episódio da sua série favorita

Se você possui o nível básico ou intermediário, coloque a legenda no idioma inglês. Se possuir o nível avançado, retire a legenda. O intuito é compreender as falas sem raciocinar em português. Por isso é necessário algo que você já tenha assistido antes.

Dica 5: Aprenda gírias

Se na escrita em inglês formal as gírias não são bem-vindas, na conversação em inglês o uso delas é permitido. Dessa forma, deixa o momento da fala mais natural.

Dica 6: Leia em voz alta

Leia em voz alta discursos, romances, artigos informativos e poemas para praticar a pronúncia das palavras.

Aqui na Ateneo você pode  aprender a falar inglês desde o primeiro dia de aula. O conhecimento é transmitido por professores com excelente formação acadêmica e a cultura do idioma assume grande importância.

Faça já a sua matricula!

Curso de inglês para negócios: conquiste o sucesso profissional

O inglês é um idioma universal, por isso, tem deixado cada vez mais de ser considerado um diferencial no mercado de trabalho, para se tornar quase que obrigatório.

Até algum tempo, tinha-se uma noção de que o inglês só era importante para a vida profissional daqueles que almejavam ocupar altos cargos em multinacionais.

Hoje, as coisas mudaram, não apenas as empresas multinacionais exigem o conhecimento da língua inglesa, como também as nacionais.

E esqueça aquela ideia de que apenas os altos cargos requerem conhecimento do inglês, atualmente, cargos de auxiliar, técnico, analista e até mesmo recepcionista, muitas vezes exigem algum nível de conhecimento e fluência do idioma.

Não é à toa que existem tantos cursos de inglês espalhados pelo país, mas, fique atento, se o seu objetivo é fazer um curso de inglês para negócios, saiba que existem diferenças entre um curso de inglês tradicional e um curso de inglês voltado para os negócios.

No post de hoje vamos mostrar as principais diferenças entre esses dois tipos de cursos e porque é tão importante estar atento ao seu objetivo antes de se matricular em um curso de inglês.

Além disso, também iremos traçar um panorama geral de como se encontra o inglês no mercado atual, e, por fim, apresentaremos as principais certificações de inglês que te ajudarão a conquistar o sucesso profissional.

Let’s start?

Qual a diferença do curso de inglês para negócios e o curso tradicional?

Pode parecer que fazer um curso de inglês, qualquer que seja, irá te preparar para todas as situações, mas, não é bem assim.

E é por isso que existem diversos tipos de cursos de inglês, alguns mais rápidos, outros mais longos, alguns focados em viagens, outros focados em preparar para testes, enfim, uma infinidade de opções, porém, com objetivos bem definidos, e bem distintos, diga-se de passagem.

Um curso tradicional de inglês irá te ajudar a fazer um pedido em um restaurante, se virar em uma viagem e até dialogar com falantes nativos do idioma sem problemas, porém, no dia-a-dia corporativo as coisas são bem diferentes, você precisará dominar um vocabulário bem especifico, e tudo irá depender da função que irá ocupar, a área de atuação da empresa, entre outras variáveis.

Por isso, a melhor opção para quem pretende ou precisa usar o inglês no seu dia-a-dia profissional é fazer um curso de inglês para negócios, inclusive, aqueles que já fizeram o curso de inglês tradicional. Primeiro, porque o inglês usado no mercado de trabalho, assim como o português, precisa ser mais formal, tanto a parte falada, quanto a escrita.

Muitas abreviações e gírias comuns usadas fora do ambiente de trabalho, podem não ser bem recebidas e mal interpretadas em ambientes corporativos, ocasionando problemas reais.

Além disso, devemos lembrar que assim como no português, no inglês também existem os jargões específicos de cada profissão e área de atuação.

Ter um conhecimento amplo de jargões e termos específicos utilizados na sua área de atuação é imprescindível para uma boa comunicação, e, consequentemente, para realização de um bom trabalho dentro e fora da empresa.

O inglês no mercado hoje

Close-up of two business people shaking hands while sitting at t

O inglês sempre esteve em alta no mundo dos negócios, hoje não é diferente.

Além disso, todo o conteúdo relacionado a inovação e tecnologia surge, primeiramente, em inglês, por se tratar de uma língua utilizada no mundo todo.

Ou seja, dominar o inglês hoje é fundamental para adquirir outras competências exigidas pelo mercado, como, dominar softwares e sempre estar um passo a frente, o que em muitas áreas é crucial para ter sucesso.

Entretanto, com o inglês cada vez mais presente no cotidiano das empresas, obviamente, o rigor com certificações e testes está cada vez mais alto.

O profissional precisa mostrar que realmente possui o nível de inglês que indica no currículo, e para aferir tal informação os recrutadores utilizam desde provas, até entrevistas realizadas completamente inglês.

Portanto, para ter certeza de que estará apto a qualquer situação no trabalho e sentir-se seguro na hora de encarar o rigor das seleções, nossa dica é fazer um curso de inglês para negócios.

O curso de inglês para negócios supre a necessidade de aprender a se comunicar de maneira formal, dá subsídios para o entendimento de termos técnicos, além de preparar para reuniões, tanto para compreender, quanto para contribuir com ideias e colocações.

Vale lembrar, que além de diversos tipos de cursos de inglês, também existem diversos tipos de certificações de inglês.

Porém, somente algumas são mais voltadas a área corporativa, por isso, é tão importante fazer o curso de inglês para negócios, a fim de conseguir essas certificações.

Para ajudar ainda mais, a seguir apresentamos as 4 principais certificações de inglês voltadas especificamente para negócios e que te ajudarão a estar um passo a frente de seus concorrentes.

Certificações de inglês para empregos e carreiras

Assim como é importante fazer um curso de inglês para negócios se o seu objetivo é usar o inglês no trabalho, também é bom se atentar as certificações.

Muita gente não sabe mais existem certificações que são especificas para o mundo corporativo e obtê-las fará toda a diferença na hora de disputar uma vaga de emprego ou conseguir uma promoção.

TOEIC – Test of English for International Communication

O TOEIC, além de ser bastante conhecido, é uma certificação bem completa para quem faz um curso de inglês para negócios, isso porque, o teste irá explorar situações comuns vividas no cotidiano corporativo, como reuniões e telefonemas.

Em resumo, é um teste mais prático.

IELTS – International English Language Testing System

O IELTS, embora, possa ser utilizado para vários fins, diferentemente, do TOEIC, é também aceito para fins corporativos. Explora escrita, fala, audição e compreensão.

BEC – Cambridge Business English Certificate

Outra certificação voltada ao mundo dos negócios é a BEC, feita pela Universidade de Cambridge. Essa certificação possui 3 níveis: Business Preliminary, Business Vantage e Business Higher.

BULATS

A BULATS também é uma certificação da Universidade de Cambridge e visa avaliar o nível de domínio de inglês do colaborador dentro da empresa.

Aprender inglês na prática: guia para dominar o idioma

Aprender inglês na prática é uma das capacidades cognitivas mais difíceis de desenvolver. No mundo, existem mais de 6 mil línguas e todas elas são complexas, ou seja, detêm muito mais que 30 mil palavras cada.

O inglês, em especial, é uma língua cujo aprendizado traz ao portador uma imensa vantagem competitiva, não só no que tange ao peso no currículo (considerando que é o idioma mais demandado pelos contratantes no mundo), mas também pela possibilidade de se inserir de forma mais assertiva individualmente no processo de globalização, afinal, para ser cosmopolita não basta entender ou conhecer outros países, precisa também se conectar de forma mais profunda através do idioma, e por excelência a língua que é o “cimento” deste processo é o inglês.

A sequência perfeita para dominar o inglês: ouvir, falar, ler e escrever

É importante ressaltar, que aprender inglês na prática, assim como adquirir qualquer outra capacidade cognitiva, é algo que segue uma lógica muito parecida com a de um computador.

Nesse caso, quando inserimos algo em um computador, como uma sequência de números em uma calculadora, existe a “entrada” de dados.

Em um segundo momento escolhemos uma operação, por exemplo, a adição, e adicionamos outra sequência de números, o que leva ao processamento de dados. Por fim, o computador emite um resultado (saída).

O mecanismo de aprendizagem da linguagem funciona de maneira idêntica, ou seja, primeiro, precisamos adicionar dados, nesse caso, ou realizando formalmente um curso para aprender inglês na prática, ou convivendo com outros falantes, tendo acesso ao conteúdo cultural na língua inglesa, como músicas, filmes e séries.

Em segundo momento, é necessário falar, forçar a dicção para aprender inglês na prática, isso exige um grande processamento em nível neural acelerando o processo de aprendizado.

Após a realização desses passos, chega o momento de ter acesso à leitura, a compreensão da gramática, para isso, é fundamental ter acesso à literatura em inglês como jornais, revistas, livros, ou ainda, filmes em inglês legendados também em inglês, o que torna muito mais fácil a aquisição de vocabulário e a compreensão intuitiva das regras gramaticais, tornando o aprender inglês nalgo muito divertido e eficiente.

O último passo, talvez o mais difícil, reside em escrever. Nesse momento, é interessante tentar traduzir textos, redigir músicas de forma intuitiva enquanto escuta e também realizar exercícios pedagógicos diversos a fim de aprender inglês na prática.

2 dicas infalíveis: Pense em inglês e leia bastante

O pensamento é a esfera mais íntima de um sujeito, representa o nível endógeno daquilo que pode ser entendido como consciência.

Como tal, ela funciona em partes como uma “voz” que nos guia e estabelece um diálogo, talvez mais correto dizer um monólogo, para conosco.

Um dos passos fundamentais para aprender o inglês na prática é buscar pensar em inglês, isso mesmo, fazer com que a sua voz interior conserve com você mesmo em inglês em vez de português.

É uma tarefa, a princípio, difícil, mas com o tempo, se torna mais simples, o que leva a uma maior eficiência na hora de aprender inglês na prática.

A leitura também é uma forma de navegar profundamente para dentro do universo do inglês, levando o indivíduo não só a adquirir um imenso arsenal de palavras, mas também um repertório sofisticado de expressões e também de regras gramaticais. A leitura de livros, revistas, ou mesmo a navegação em websites estrangeiros, leva a aquisição do idioma ser mais natural, fazendo do aprender inglês na prática uma rotina.

As melhores maneiras comprovadas de aprender inglês

A aquisição do idioma passa pela necessidade de se estabelecer padrões, seja no que se refere ao conteúdo das palavras, ao seu emprego ou ao seu modo de pronúncia.

Intercâmbio

E para isso, nada é tão eficiente quanto conviver com outros falantes da língua inglesa.

Por conta disso, buscando aprender inglês na prática, milhares de brasileiros todos os anos fazem intercâmbios para países como Irlanda, Canadá e Austrália, a fim de conviver com outros falantes da língua inglesa, e de forma mais natural e assertiva aprender inglês na prática.

Aplicativos

Com a evolução tecnológica houve o surgimento de novas formas de aprendizado em modelos de ensino a distância, o que também se mostrou como uma forte via para quem quer aprender inglês na prática.

Existem muitos aplicativos para o aprendizado do inglês, muitos deles bastante divertidos, com atividades diferenciadas e com mecanismos de interatividade muito convidativos.

Outra via na qual a tecnologia pode ser empregada por quem quer aprender inglês na prática reside no uso de ferramentas de conversas de vídeo com falantes da língua inglesa.

Games

O aprendizado do inglês pode também ser uma via facilitada através de atividades prazerosas, como o vídeo game.

Os games modernos detêm tramas muito envolventes e contam geralmente com diálogos, textos em inglês.

O convívio e o raciocínio proporcionados pela experiência do jogo, facilitam de forma direta a aquisição do idioma.

Além disso, muitos jogos, sobretudo, os colaborativos de participação on-line, propicia a possibilidade de conversar em tempo real com outros usuários, sobretudo, os falantes do inglês, o que torna o aprender inglês na prática uma experiência muito divertida.

Filmes e séries

Quando o assunto é aprendizado e diversão, aprender inglês na prática pode ser algo bem facilitado através dos filmes e séries.

Nesse caso, assistir seus programas favoritos, em inglês e com legenda também no idioma estrangeiro, facilitam o processo de aquisição de linguagem,

Música

Quem não gosta de música?

É difícil!

O que pode variar é seu estilo favorito, porém, música é universal, todo mundo gosta. Por conta disso, este é um excelente método para aprender inglês na prática.

Seja no trânsito, no ônibus, no trabalho, enfim, em qualquer lugar, é possível graças à tecnologia do fone de ouvido curtir seus hits favoritos em qualquer lugar, por isso, use isso a seu favor, escute os hits em inglês, tente compreender as letras e também tente cantar, nem que seja no chuveiro.

Diálogo

Por fim, destacam-se duas coisas, primeiro, tente de alguma forma executar o diálogo, o contato com outro falante é o principal caminho (mesmo que ele não seja tão bom no idioma, o que vale é tentar).

Além disso, todas essas dicas demandam constância, ou seja, não basta você tentar apenas um dia jogar um videogame ou escutar uma música em inglês, é preciso fazer dessas  práticas uma constante na vida, ou seja, elas tem de ser incorporadas na rotina, pois dessa forma você certamente vai aprender inglês na prática sem nem se dar conta.

Aprender inglês com música: técnicas para você dominar o idioma

Uma pergunta comum que vai passar pela cabeça de quem estiver lendo este texto é: aprender inglês com música é possível?

E nós afirmamos veementemente que sim, com certeza!

Aprender um idioma deixou de ser um grande diferencial no currículo para se tornar algo praticamente obrigatório, não só para a vida profissional, mas, também para o âmbito do lazer e da vida pessoal.

Isso porque, o processo de globalização criou pontes que diminuíram a distância entre povos e países, e o cimento dessa conexão é, de um lado, a tecnologia da informação, e de outro, o inglês, que é o idioma universal que sedimenta o caminho desta junção.

Apesar de ter se tornado uma realidade inevitável, muitas pessoas, se não a maioria delas aqui no Brasil, não consegue aprender inglês, seja por falta de iniciativa, ou por não conseguir se adaptar aos métodos propostos pelas diversas escolas de inglês espalhadas pelo país.

Uma estratégia útil nesse sentido está em aprender inglês com música.

Considerando que, a maior parte das músicas que fazem sucesso no Brasil e no mundo são cantadas em inglês, este é um excelente material, farto e gratuito para quem quer aprender inglês de forma divertida e sem muito esforço.

Aprender inglês com música é possível?

ingles inglaterra

Todo aprendizado ou aquisição cognitiva é um processo que envolve estímulos e também absorção cognitiva.

Nesse caso, o fator emoção é um poderoso agente de modulação no processo de aprendizado, quanto mais positivas forem as emoções que estiverem presentes no processo, mais facilmente o individuo irá aprender.

Por conta disso, aprender inglês com música é sim possível.

Uma estratégia óbvia reside em separar as músicas que você mais gosta. Monte uma playlist com os sucessos que mais te embalam, quanto mais você gostar da música, mais fácil será assimilar seu conteúdo e mais útil ela será no aprendizado.

Claro que para aprender inglês com música é preciso fazer disso uma rotina. Ou seja, distribua durante suas atividades do dia momentos para que você se dedique a escutar suas músicas prediletas, buscando interpretá-las e também cantá-las, afinal, parte do aprendizado da linguagem reside na constante tentativa de dicção quanto aos termos em inglês.

Aproveite aqueles momentos no carro em que você está preso no congestionamento para buscar aprender inglês com música, ou mesmo em casa durante a faxina ou ainda no banho.

Aprender inglês com músicas no Youtube

ingles inglaterra viagem

A tecnologia certamente é o maior amigo de quem busca aprender inglês com música.

Uma ferramenta obrigatória nesse sentido é o Youtube, a maior rede social de compartilhamento de vídeos do mundo dispõe de um repertório praticamente infinito de musicas em inglês que podem ser apreciadas por quem busca aprender inglês com música.

Muitos vídeos tem função semelhante a de um karaokê e oferecem um acompanhamento escrito com a letra da música, nesse caso, é muito mais fácil acompanhar sua canção predileta, é só ficar atento ao movimento do vídeo e soltar a voz.

Além disso, é possível encontrar na plataforma uma série de vídeos de pessoas que ministram cursos em inglês e ou que oferecem dicas valiosas sobre o aprendizado da língua inglesa e até estratégias de como aprender inglês com música.

O Youtube para muita gente é mais do que uma ferramenta, é um acessório para o aprendizado do idioma, e muitas vezes a principal forma de aprender inglês com música.

As razões para isso residem na comodidade, afinal, o Youtube pode ser acessado de qualquer lugar do mundo, além disso, o custo, gratuito, muito inferior a qualquer escola de inglês no mundo.

Além disso, é possível dizer que hoje o Youtube é mais que uma ferramenta para aprender inglês com música, é um portal onde é possível adquirir todo tipo de conhecimento e também compartilhar diversos tipos de experiências.

Aprender inglês com músicas em aplicativo

Como já dito, a tecnologia é o maior aliado de quem quer aprender inglês com música, nesse caso, é válido destacar o papel dos aplicativos de celular, que vem nos últimos tempos promovendo uma verdadeira revolução na forma com que as pessoas buscam aprender inglês aqui no Brasil (e no resto do mundo).

Uma ferramenta que merece bastante destaque é o Sing! Que compõe a comunidade musical da Smule, lançada inicialmente em 2012.

Em 2017 o Smule começou a oferecer duetos oficiais da Disney.

Nessa plataforma, é divertido aprender inglês com música, pois, os usuários podem escolher uma música e cantam ela solo ou em dueto, ou ainda, em uma apresentação grupal.

Além disso, o grande diferencial nesta forma de aprender inglês com música reside no fato de que os usuários podem ativar a função gravação em vídeo, para rever o desempenho ou compartilhar com outros, e ainda, se for uma pessoa tímida, pode ativar a opção “privado” para que os demais usuários não tenham acesso ao vídeo.

O repertório disponível na plataforma é incrivelmente amplo, vai desde as batidas indistinguíveis de Snoop Dogg, a voz inesquecível de Rebecca Black.

O Smule é mais do que uma forma de aprender inglês com música, é a oportunidade de fazer parte de uma comunidade global de cantores (profissionais, amadores).

O Smule convida a todos para o encantamento que pode ser promovido por uma festa global do Karaokê, fazendo da tela de cada computador uma janela para um palco único e divertido onde é possível aprender inglês com música, ao mesmo tempo em que se diverte e faz amigos.

Aprender inglês com músicas no Vagalume

Quem nunca acessou o site do Vagalume em busca daquela letra de música da sua canção predileta?

Se sua resposta é sim, saiba que sem querer você já está buscando formas de aprender inglês com música.

Usando o Vagalume para ter aceso as letras de música, é possível, ao ouvir as canções e acompanhar no texto a gramática. Isso, por um lado torna mais assertivo a compreensão do que é escutado, onde a leitura complementa a capacidade de ouvir, ou seja, oferece uma confirmação sobre o que está sendo dito.

Além disso, é uma forma excelente de ampliar radicalmente o vocabulário, aprendendo termos, expressões e também adquirindo um maior conhecimento quanto ao contexto em que tais recursos lingüísticos são aplicados.

É importante notar que o Vagalume também é uma plataforma gratuita o que faz desta uma forma extremamente econômica de aprender inglês com música.

A plataforma abriga um repertório muito amplo de letras de músicas de todos os estilos, e certamente, você vai encontrar aquela letra, daquela canção que mais te embala, e depois disso, ficará muito mais fácil aprender inglês com música.

Tongue twisters do inglês: aceite o desafio

Tongue Twisters trata-se de um jogo verbal que consiste em dizer, com perfeição e rapidez, versos ou frases que contenha um número grande de sílabas difíceis de pronunciar, ou de sílabas formadas com os mesmos sons, mas em ordem diferente.

Os Tongue Twisters são originários da cultura popular, como as parlendas que são as rimas infantis.

Os desafios do Tongue Twisters podem ser sob a forma de prosa, versos ou frases.

Os Tongue Twisters é um ótimo exercício para a galera praticar a pronúncia das palavras sem tropeços.

Como você sabe, de acordo com o dicionário, palavra twister é um substantivo e significa trapaceiro, vigarista, intrigante, mentiroso, pessoa/máquina que torce ou situação embaraçosa.

Em inglês americano, twister também significa ciclone, furacão, tornado ou tufão.

Observe alguns exemplos:

  • The twister destroyed homes and buildings.
  • Twister! You distort things.

 

 10 exemplos de Tongue Twisters

Agora, venha participar deste desafio.

Reúna com seus colegas e amigos ou até mesmo sozinho, você vai aprender e rir ao mesmo tempo.

  1. No primeiro desafio, a repetição das mesmas palavras iniciadas com P dificulta a fala
    Peter Piper picked a peck of pickled peppers. A peck of pickled peppers Peter Piper picked. If Peter Piper picked a peck of pickled peppers, Where’s the peck of pickled peppers Peter Piper picked?
  2. Pronunciar corretamente a série de palavras iniciadas com a consoante S é o desafio em
    I saw Susie sitting in a shoe shine shop. Where she sits she shines, and where she shines she sits.
  3. Boa sorte ao falar a frase com repetições da palavra “wish”
    I wish to wish the wish you wish to wish, but if you wish the wish the witch wishes, I won’t wish the wish you wish to wish.
  4. As palavras homófonas (que têm a mesma pronúncia) “one” e “won” tornam a seguinte frase difícil
    One-one was a race horse. Two-two was one too. One-one won one race. Two-two won one too.
  5. Falar sucessivamente palavras com as consoantes M, N e G pode ser mais difícil do que parece
    Imagine an imaginary menagerie manager? Imagining managing an imaginary menagerie.
  6. Repetição de palavras que começam com B também é desafiador
    A big black bug bit a big black dog on his big black nose!
  7. Outra série de palavras iniciadas em S
    She sells sea shells down by the seashore
  8. Palavras que têm ênfase no som da vogal “O”
    How many cookies could a good cook cook If a good cook could cook cookies? A good cook could cook as much cookies as a good cook who could cook cookies.
  9. Mais uma vez, o desafio vem de palavras iniciadas com S
    She saw Sherif’s shoes on the sofa. But was she so sure she saw Sherif’s shoes on the sofa?
  10. Falantes de português têm dificuldades para pronunciar o “th” presente no inglês
    He threw three balls.

Então, você gostou do desafio?

Qual foi o trava-línguas que mais gostou e qual achou mais difícil?

Deixe seus comentários aqui. Nós vamos adorar!