Erros comuns da língua inglesa

O inglês é um idioma básico atualmente, essencial na maior parte das carreiras profissionais, além de ser importante para quem deseja viajar para o exterior. Confira a seguir os 15 erros mais comuns da língua inglesa!

  1. Utilizar o “do” no lugar de “make”: do e make são palavras que significam “fazer”, mas a segunda está mais no sentido de fabricar, por exemplo: “make a toy”, “make a cake”.
  2. Colocar “your” no lugar de “his” e “her”: os três são pronomes possessivos, mas he exige emprego de his e she, de her. O your é usado apenas com you. A confusão ocorre porque, em português, todos significam “seu/sua/seus/suas”.
  3.  Empregar o “to have” no sentido de haver.
  4. Confusão entre anything e nothing: ambos significam “nada”, mas o primeiro entra em sentenças negativas e o segundo em afirmativas.
  5. Esquecer-se de inserir o –s ou –es em verbos conjugados na terceira pessoa. Exemplo: I eat/ She eats.
  6. Colocar o “to” depois de um modal: can, could, would, must. Por exemplo, o correto é “I can play”, jamais “I can to play”.
  7. Confundir-se com os falsos cognatos, palavras que são semelhantes a outras em português, mas com sentidos diferentes. Parents significa pais e não parentes!
  8. Pronunciar a palavra “coffee” como se fosse “cof”. Os dois e’s devem aparecer bem na pronúncia, caso contrário, a palavra se torna “cough”, que significa tosse.
  9. Usar a expressão “looks like” sem cuidado! Ela significa “parecer”, mas sempre que houver um adjetivo, o like deve ser cortado, permanecendo apenas o looks, como em: She looks beautiful, ou seja, ela parece bonita.
  10. Escrever/falar frases sem sujeito: “Is wonderful”! O correto seria “It’s wonderful”, ou seja, sujeito, verbo e complemento (mesmo que o sujeito não precise aparecer na tradução).
  11. Usar o “that” após o “want”: He wants that you go. Para dizer “ele quer que você vá”, esse “que” não é colocado, ficando apenas He wants you go.
  12. Não colocar o to para separar dois verbos.
  13. Colocar o adjetivo depois do substantivo como é em português. Em inglês, é sempre antes.
  14. Começar a frase com “exists”, prefira “there is”/”there are”.
  15. Procurar traduções “ao pé da letra”! Esse é o maior erro, procure sempre capturar a essência ao invés de traduzir cada palavra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *